Not�cias

Inflao cai pelo 5 ms consecutivo

12/09/2013

Pelo quinto mês consecutivo, os preços tiveram queda em Rio Preto, o que resulta em deflação. Em agosto, o Índice de Preços ao Consumidor de Rio Preto (IPC-RP) fechou negativo em 0,074%, conforme pesquisa mensal divulgada ontem pela Prefeitura de Rio Preto, Faculdades Integradas Dom Pedro 2º e Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). 

 
As reduções de preços mais significativas ocorreram nos grupos vestuário (-0,203%), transporte (-0,031%) e despesas pessoais (-0,030%). Individualmente, a calça comprida masculina teve queda de 8,50% e contribuição de -0,050%; o automóvel novo caiu 0,57% e contribuiu com -0,036%. 
 
Houve queda ainda nos grupos educação (-0,005%) e saúde (-0,006%). As únicas contribuições de alta foram dos grupos alimentação (0,174%) e habitação (0,026%). Especialistas em economia explicam que esse ciclo de deflação representa um ajustamento, já que os preços haviam subido muito. “Não se trata de recessão ou desaquecimento da economia, mas uma acomodação em função de altas acima do previsto”, afirma a economista Emília de Toledo Leme. 
 
No ano, a inflação em Rio Preto está acumulada em 2,499%. Nesse contexto, a maior contribuição foi do grupo educação, que registra alta de 0,845%. O grupo alimentação aparece em seguida, com alta acumulada de 0,682% no ano. Nos últimos 12 meses, de setembro de 2012 a agosto deste ano, a inflação em Rio Preto está acumulada em 4,1%, maior índice para essa variação de tempo desde 2008. 
 
"A tendência é de que nos próximos meses os preços tenham uma elevação, em função da melhora da renda, motivada principalmente pela entrada do 13º salário", afirma o economista Hipólito Martins Filho, das Faculdades Integradas Dom Pedro 2º. 
 
Terceira idade 
 
O índice que mede o custo de vida da população da terceira idade de Rio Preto fechou agosto com inflação de 0,005%. As maiores contribuições também foram dos grupos vestuário e transportes. No ano, o índice está acumulado em 1,869% e, nos últimos 12 meses, em 4,05%. 
 
Fonte: Diário da Região (São José do Rio Preto, 12.09.2013)